Após morte de guarda municipal, SMS pede retirada de vigilância armada das unidades públicas de Natal



Guarda municipal morre após troca de tiros no bairro da Ribeira, Zona Leste de Natal — Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi

Guarda municipal morre após troca de tiros no bairro da Ribeira, Zona Leste de Natal — Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi

Depois da morte do guarda municipal Carlos Antônio Pereira durante confronto com um assaltante dentro de uma unidade de saúde de Natal, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) quer retirar as armas de fogo dos vigilantes que atuam na rede pública.

A solicitação foi feita à empresa de vigilância terceirizada pela prefeitura. O prazo para a retirada do armamento é de 48h, a contar desta quinta-feira (13), data do pedido. Além disso, a SMS afirmou por meio de nota que irá buscar apoio do Ministério Público do Rio Grande do Norte para firmar um Termo de Ajustamento de Gestão (TAG), que substituiria os agentes armados por porteiros.

A secretaria argumenta que a rede municipal pública de saúde é alvo constante de criminosos que procuram roubar armas de fogo e coletes à prova de balas, usados pelos vigilantes.

“A SMS está buscando junto à Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes), um incremento no convênio Ronda da Saúde, que é uma ação existente desde de 2016 que criou um grupamento específico da Guarda Municipal para atuar somente na proteção, fiscalização e segurança das unidades de saúde e de suas áreas circunvizinhas, por meio de ações preventivas e corretivas”, diz trecho da nota divulgada pela pasta na manhã desta quinta (13).

Na tarde de quarta-feira (12), o guarda municipal de Natal Carlos Antônio Pereira de Melo, de 48 anos, morreu após sofrer três tiros na cabeça. O crime aconteceu no Centro de Referência Odontológica, no bairro da Ribeira, Zona Leste de Natal. De acordo com o comandante da Guarda Municipal de Natal (GMN), Alberfran Grilo, o servidor estava de folga e sem farda. Ele acompanhava a filha e a esposa na unidade quando percebeu um assalto e reagiu. Carlos Antônio trocou tiros com o suspeito e morreu.

Na manhã desta quinta-feira (13), o Centro de Referência Odontológica amanheceu fechado e assim permanecerá até a sexta-feira (14). A Prefeitura do Natal decretou luto de três dias e divulgou nota oficial lamentando a morte do guarda.

Confira o pronunciamento reproduzido na íntegra:

Tomada por profundos sentimentos de pesar e consternação, a Prefeitura Municipal do Natal lamenta o trágico fato que acabou por vitimar o guarda municipal Carlos Antônio Pereira de Melo, no início da tarde desta quarta-feira (12).

Formado na Quarta Turma da Guarda Municipal de Natal, Carlos Antônio somava 25 anos de atuação na corporação. Profissional de elevada capacidade, sempre cumpriu seus deveres de maneira exemplar, assim se mantendo até o último ato de sua vida. Detentor de personalidade admirável, cativava pelo tratamento invariavelmente cordial que dedicava aos amigos, aos companheiros de GM e à população à qual tão bem servia.

A Prefeitura do Natal se soma em indignação a todos que são obrigados a conviver com o permanente estado de violência que hoje castiga a nossa sociedade e, também, em solidariedade a todos os familiares e amigos do GM Carlos Antônio neste momento de grande dor e tristeza.

Fonte: G1RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *