VIRAMUNDO 15 – Jaécio Carlos



VIRAMUNDO 15 –

Manel Florêncio de Oliveira, Manezin do Coco, mora em Brasília Teimosa e vende coco na Praia do Forte. O preço é de acordo com a cara do freguês. Varia de 2 (nataural) a 5 reais (gelado) para os guardados numa caixa de isopor, amarronzada de sujo e cheia de gelo em escamas.

Quando o freguês chiava ele baixava o preço, mas não deixava de vender e tinha até  maquininha de cartão. Eu perguntei se precisava de maquininha.

– Os bancos não liberam dinheiro em contas com saldo abaixo de 20 ou 50 reais. Ai o cara tem 10 merreis no banco e paga o coco com cartão. Não posso perder negócio.

– Mas 5 reais o coco gelado não é caro?

– É nada. Os gringos, principalmente, pagam sem chiar. Só os duristas reclamam, ai eu baixo pra 3 paus.

A roupa de Manezin é um barato. Tênis preto, sem meia, bermuda e camiseta regata vermelhas e uma capa de plástico, verde, por cima, parecendo um coqueiro e boné do Flamengo. Lembra também uma melancia.

Usa um facão afiadíssimo e com três cortes o coco tá pronto. Quando o freguês pede pra partir ao meio pra comer a laminha, ele dá um corte certeiro em tempo de cortar a mão.

Eu perguntei: – e esse menino que ajuda você?

– É filho da minha 3a mulher. Trabalha comigo desde os 10 anos de idade. Sabe tudo de coco. Vai me substituir quando eu morrer.

– Você tá com quantos anos?

– 80

Manezin gosta de coco até na música. Usa um radinho de pilha tocando embolada, ouvindo cantador de viola e cordel.

– Qual é o seu grande ídolo Manezin?

– Jackson do Pandeiro, inesquecível.

 

 

Jaécio Carlos –  Produtor e apresentador dos programas Café da Tarde e Tribuna Livre, para Youtube.

As opiniões emitidas nos artigos/crônicas são de responsabilidade dos colaboradores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *