Durmo ou me levanto?



FABIO-MACEDO-1

Fábio Macêdo

Ontem conversando com um amigo sobre vida político-partidária ele me disse assim: “cuidado para não entrar de cabeça, são todos iguais!” E respondi “somos todos iguais, a diferença é que alguns ficam na cama e outros vão para a ação”.

As mudanças são demoradas. O discurso de dar tudo de “graça” pregado pela esquerda parece sedutor e fácil. Estamos conscientes que a caminhada será longa. Terceirizar as mazelas do nosso país, sem fazer uma contribuição política mais efetiva não adianta de nada.

Entrei num partido que traz uma nova proposta e para mim a mais importante de todas: diminuir o tamanho do estado. Privatizando e melhorando a eficiência ao que couber a ele. A Saúde , a Segurança e a Educação.

Quem melhor administra uma casa, a dona de casa ou o “estado”? Quando ela vai ao supermercado escolhe as frutas pela qualidade e pelo preço. Por outro lado o estado compra mal, licita mal, fiscaliza mal e o pior: PAGA MAL. Logo o produto se torna mais caro, o vendedor ou o prestador já põe no custo a demora do pagamento e a dificuldade em receber.

O produto que deveria custar 100, passa para 200. Deveria durar 10 anos , dura 03 anos, logo passa para 800. Quando o estado vai pagar não há reajustamento nada. Agora do outro lado vá o empresário ou cidadão deixar de pagar os tributos?! Multa e juros que inviabilizam o empreendimento.

Falemos sobre educação pública. Escolas com custo alto, baixa eficiência , professores desmotivados, mal remunerados, mal preparados, gerando alunos igualmente despreparados e desqualificados para o mercado de trabalho. Aí vem novamente o estado: cria sistema de cotas, remendando mal a sua incompetência.

O mesmo nós encontramos na saúde. Sobre segurança, uma terra de ninguém. Várias polícias, municipal, estadual, federal. Mas de que adianta tantas polícias e a ausência de uma política de estado para o tema?. Estão sepultando o mérito e enaltecendo o aparelhamento do estado, tornando-o mais ineficiente.

Em conclusão: este modelo de estado grande, equipado, agindo como um grande cabide de emprego, entreguista e ineficiente é o maior entrave ao crescimento do Brasil. Logo o povo em breve entenderá que teremos que travar uma luta POVO X ESTADO doente => estado menor, sadio, eficiente => povo livre, responsável. Que pelo seu mérito, gerará o seu crescimento.

Fábio Macêdo – Médico, professor da UFRN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *