Conexão Expresso Oriente

Mais de 50 pessoas, em sua maioria combatentes pró-regime de Bashar al-Assad, morreram nessa quinta-feira (18) em um ataque do grupo extremista Estado Islâmico (EI) contra dois povoados da província de Hama, no centro da Síria, afirmou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH). Entre os mortos, 15 civis, 27 milicianos pró-regime e 10 pessoas não identificadas que são “ou civis, ou combatentes”. O ataque teve como alvo dois povoados no leste da província de Hama; Aqareb, onde a maior parte da população é ismaelita, e Mabujé, onde vivem sunitas e uma minoria de jafaritas, ismaelitas e alauitas. O detalhe é que em Aqareb, os civis foram assassinados, em seguida decapitados e seus membros amputados, mostrando assim quão perversos são os membros do EI. Mabujé já havia sido atacada pelo EI em março de 2015. Os extremistas executaram 37 civis e sequestraram outros 50, a metade mulheres. O regime e os rebeldes do EI compartilham o controle da província de Hama, situada no centro do país, em guerra desde 2011. Segundo os especialistas, ainda vai demorar muito tempo para que o Estado Islâmico seja instinto do mapa, todavia no Iraque ele realmente está próximo do fim.

(Mário Roberto Melo – Correspondente do Blog Ponto de Vista, em Tel Aviv)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *