27 de maio de 2017

COMPADRE ANTONIO – Guga Coelho Leal

      Antonio Honorato de Almeida conhecido como Antonio Pé de Pato, é um homem saudável, alegre, estatura mediana, muito forte. Ganhou este apelido por ter os pés grandes e ser o zagueirão do Grêmio Recreativo Jandaíra Esporte Clube, um time de futebol lá da cidade de Jandaíra, que […]
20 de maio de 2017

MARIA APARECIDA – Guga Coelho Leal

  Maria Aparecida de Souza ou Maria de Nezinho, assim ela é conhecida lá pras bandas de Laranjeiras dos Cosme, lugarejo pertencente ao município de São José do Mipibú. Maria, mulher bonita, letrada, pedagoga e advogada, solteira por convicção, com pavor a marido e já nos quarenta, lembra muito a […]
16 de maio de 2017

CHATO DE GALOCHA – Guga Coelho Leal

CHATO DE GALOCHA – Fui a Mossoró, aproveitei a viagem entrei até Boi Selado perto de Jucurutu e fui à fazenda de Manoel Carmelito Feliciano da Silva, conhecido carinhosamente pela população como Mane Cabeleira, ou Cabileira que é como o povo o chama. Homem calmo, alto, gordo, bonachão, desses bons […]
6 de maio de 2017

NATAL DA MINHA JUVENTUDE – Guga Coelho Leal

            “Caminhando e cantando e seguindo a canção.” Assim é a vida. Uma canção que devemos saber cantá-la seja ele triste ou alegre.             Assim escrevi minha canção, e assim continuo a cantá-la. Nasci e me criei em Natal. Meus irmãos, filhos e amigos também, Natal que eu vivi era […]
29 de abril de 2017

UM LONGO SONHO – Guga Coelho Leal

                 Era um quarto frio de um hospital, uma madrugada silenciosa, apenas se ouvia a entrada e saída de enfermeiras para aplicação da medicação. Eu com os olhos fixos para o teto, não conseguia dormi. Resolvi então mudar a posição da cabeça, já que pouco podia mexer o corpo, pois, […]
15 de abril de 2017

AFRÂNIO AMORIM – Guga Coelho Leal

“Amigo é coisa para se guardar, debaixo de sete chaves. Dentro do coração. Assim falava a canção que na América ouvi. Mas quem cantava chorou, ao ver o seu amigo partir” Partiu Afrânio, seus amigos choraram, assim como é na nossa canção. Afrânio chegou a Nata – vindo do Oeste do […]
19 de fevereiro de 2017

ANTIGOS CARNAVAIS – Guga Coelho Leal

Ano? Década de 50, mês? Não sei talvez fevereiro ou março, apenas recordo que era carnaval. Eu era menino. Papai e mamãe me levavam juntamente com dois irmãos para o corso – desfile de carros, na época na Avenida Rio Branco. Óculos de papel colorido, e um saco de filó […]
4 de fevereiro de 2017

   A FALÊNCIA DO SERVIÇO PÚBLICO – Guga Coelho Leal

Fui funcionário público 28 anos e vejo hoje como as “coisas” andam bem diferente do meu tempo  Comecei minha vida profissional como auxiliar de engenheiro no Departamento de Estradas de Rodagem-DER RN. Depois, me formei em engenharia e fui engenheiro residente do 3° Distrito Rodoviário sediado no município de João […]
28 de janeiro de 2017

PIJURIU – Guga Coelho Leal

                 Não sei o porquê do apelido, nem tão pouco sei o seu nome, mas sou uma das poucas pessoas que lhe chama pelo apelido e ele não se afoba, ao contrário. Gosto de conversar com ele, por ser parte da voz do […]
21 de janeiro de 2017

COISAS QUE SÓ ACONTECEM COMIGO – Guga Coelho Leal

Anos sessenta, havia tido uma eleição muito acirrada, em que Aluizio derrotou Djalma Marinho e Dinarte Mariz.  Mas com pouco tempo depois, Dinarte candidatou-se a senador e foi eleito.  A festa da vitoria foi na Praça Pio X à noite e começaram logo cedo pela manhã os preparativos. A nossa […]
14 de janeiro de 2017

DE VOLTA AO PASSADO – Guga Coelho Leal

De volta ao passado – Seis horas da manhã, de um dia de sábado, mês qualquer, anos cinquenta. Meu pai me acorda para tomar café e viajarmos para o velho Engenho Boa Vista, localizado em São José de Mipibu. Papai pede para ligar para Praça Hillman que ficava na Rua […]
7 de janeiro de 2017

ADAUTO ROCHA – Guga Coelho Leal

Adauto Ferreira da Rocha, ou simplesmente Adauto Rocha, nasceu na Paraíba, mas logo cedo veio morar no Rio Grande Norte. Ligado à família Ribeiro Coutinho, Adauto fez amizade com meu avô Jorge Silva e com meu pai Cloro leal. Por ser um bom homem aqui fez uma legião de amigos. […]
24 de dezembro de 2016

LUIZ TAVARES – Guga Coelho Leal

Luiz Tavares era um homem bom, amigo de todos e conhecido por sua força fora do comum. Amigo de meu pai e eu amigo dos seus filhos. Sobre Seu Luiz (era assim que eu o chamava) tinha muitas histórias alegres para ser contadas. Foi lançado o Loteamento Kutuvelo, na praia […]
17 de dezembro de 2016

A CASA DOS MEUS SONHOS – Guga Coelho Leal

“A casa dos meus sonhos/É feita de ilusão/E vive sempre cheia de amor/Amor e solidão”. Amor e solidão, a casa dos meus sonhos. Fiz uma viagem ao tempo, fui ver a velha casa. Noite, silêncio, sem o barulho trepidante dos veículos. Parei em frente, olhei com tristeza, ela não está […]
12 de dezembro de 2016

JOCA, O GOLEIRO – Guga Coelho Leal

JOCA, O GOLEIRO –   “A bola vai para Saquinho, mata no peito, entrega para Jorginho, este lança perigosamente para Wallace, passou para Gilvan, vai marcar, atirou… Defendeu espetacularmente Harry Carrey!!!” Essa era a narração do nosso locutor no tempo de criança. Os craques acima citados eram nossos heróis do […]
26 de novembro de 2016

PROFESSOR GERALDO DE PINHO PESSOA – Guga Coelho Leal

PROFESSOR GERALDO DE PINHO PESSOA –  Compôs Nelson Cavaquinho em parceria com Guilherme de Brito “Sei que amanhã quando eu morrer os meus amigos vão dizer que eu tinha um bom coração”. Pura verdade, a gente vai chegando a uma idade que só é lembrado depois de morto. Morreu  Geraldo […]
19 de novembro de 2016

ZÉ AREIA – Guga Coelho Leal

ZÉ AREIA –  Hoje pego uma carona em um livro escrito por um grande amigo de meu pai e que com o passar dos tempos tornou-se meu amigo também, e com ele tinha um bom papo na Confeitaria Atheneu, quando ele por lá aparecia. Falo aqui de Veríssimo de Melo […]
12 de novembro de 2016

A GENTE JÁ NÃO FALA DE AMOR – Guga Coelho Leal

A GENTE JÁ NÃO FALA DE AMOR – Gosto das escritas nesta página de Dalton Melo, Valério Mesquita, Anísio Augusto, Jahyr Navarro, Armando Negreiros e outros que escrevem sobre a vida, sobre o passado, histórias do nosso povo, sobre os amigos, alguns já falecidos. Amores perdidos, amores achados, ”causos,” coisas […]